6 mins read

O que Hobbes discute em seu livro O Leviatã?

O que Thomas Hobbes discute no livro O Leviatã?

O livro, cujo título por extenso é Leviatã ou matéria, forma e poder de um Estado eclesiástico e civil, trata da estrutura da sociedade organizada. Hobbes alega serem os humanos egoístas por natureza. Com essa natureza tenderiam a guerrear entre si, todos contra todos (Bellum omnia omnes).

Que teoria era defendida por Thomas Hobbes em seu livro O Leviatã?

Lembre-se que Hobbes foi um defensor do absolutismo, e sua justificativa para essa forma de governo é estritamente racional, isto é: livre de qualquer tipo de religiosidade e sentimentalismo. Ele criou, assim, uma teoria que fundamenta a necessidade de um Estado Soberano como forma de manter a paz civil.
Em cache

O que Hobbes criticava?

Com isso, Hobbes critica as religiões e os costumes que estimulam imaginações fortes, tornando as pessoas supersticiosas e despreparadas para a obediência civil. Devemos entender, portanto, que, para Hobbes, fora da nossa mente há apenas matéria em movimento, como se fossem feixes de luzes desorganizados.

O que o Hobbes defendia?

Grande defensor do absolutismo, Hobbes defende essa forma de governo utilizando argumentos lógicos e estritamente racionais (excluindo quaisquer preceitos ou argumentos religiosos). Sua teoria baseia-se na ideia de que é necessário um Estado Soberano para controlar a todos e manter a paz civil.

Qual era o pensamento de Hobbes?

Para Hobbes, “o homem é o lobo do homem”. Ou seja, segundo sua tese da natureza humana, os indivíduos, buscando realizar seus interesses pessoais, acabariam criando uma constante guerra de todos contra todos (Bellum omnia omnes).

Qual é a ideia do Leviatã?

O poder do Estado Leviatã, a quem Hobbes chama de “deus mortal”, deveria ser exercido por um rei com poderes absolutos que, pelo medo, governaria a vida de todos. Seria o soberano e os homens os súditos.

Qual era a visão de Thomas Hobbes?

Na visão de Hobbes, o estado surge como uma instituição que assegura uma dada restrição à liberdade que cada indivíduo impõe a si mesmo, dentro de uma coletividade, como maneira de cessar o estado de guerra de todos contra todos.

Qual foi a principal inspiração de Thomas Hobbes?

Também conheceu sua principal inspiração: Maquiavel. Hobbes cresceu com medo da invasão espanhola, já que viveu durante a Dinastia dos Tudors. Nesse período, as teses aristotélicas estavam sendo bastante questionadas devido às descobertas de Galileu.

O que Hobbes queria dizer com isso?

Thomas Hobbes acreditava que o homem era naturalmente “mau”, bárbaro e egoísta. Em seu estado de natureza, o ser humano estaria sempre disposto a sacrificar o bem-estar do próximo em nome de suas vontades.

O que é o Estado social para Hobbes?

O poder nesse caso seria representado pelo Estado.Na concepção de Thomas Hobbes, o Estado seria um pacto social, feito entre todos os componentes da sociedade, de modo que o poder antes deliberado e ilimitado, seria concentrado nas mãos de um soberano, que faria o papel de regulador das sociedade, distribuindo a cada …

Porque Thomas Hobbes comparou o estado ao Leviatã?

Hobbes denomina esse Estado de Leviatã e o define como “deus mortal, ao qual devemos, abaixo do Deus Imortal, nossa paz e defesa”. Sendo o objetivo do Estado o bem comum, manifestado através da garantia da paz e da defesa de todos os indivíduos, o poder se seu representante é absoluto, soberano.

Qual era a visão de Hobbes?

Na visão de Hobbes, o estado surge como uma instituição que assegura uma dada restrição à liberdade que cada indivíduo impõe a si mesmo, dentro de uma coletividade, como maneira de cessar o estado de guerra de todos contra todos.

Qual é a função do Leviatã?

O poder do Estado Leviatã, a quem Hobbes chama de “deus mortal”, deveria ser exercido por um rei com poderes absolutos que, pelo medo, governaria a vida de todos. Seria o soberano e os homens os súditos.

O que é a liberdade para Hobbes?

Para Hobbes, do ponto de vista do direito civil e político, cabe somente ao soberano decidir e julgar. Assim, a liberdade é caracterizada como qualidade que se atribui à ação, e não à vontade, e que reside apenas naquelas coisas que, ao regular suas ações, o soberano permitiu (Hobbes, 1843, Leviathan, cap. 21).

O que representa o leviatã?

O Leviatã é uma criatura formada por Deus, que representa força indomável e perigosa. Em algumas partes da Bíblia é usado para simbolizar as forças do mal e do caos, que lutam contra Deus (Isaías 27:1). O Leviatã, como o dragão, representa o diabo.

Porque Thomas Hobbes usou a figura do Leviatã em sua concepção política?

Hobbes emprega a imagem do monstro bíblico Leviatã para simbolizar um Estado poderoso capaz de promover a preservação da vida. A intenção de Hobbes é apropriar-se do temor que inspira o monstro bíblico para impor a obediência dos indivíduos ao Estado soberano (SEVERINO, 2014, p. 10).

O que Hobbes defende?

Grande defensor do absolutismo, Hobbes defende essa forma de governo utilizando argumentos lógicos e estritamente racionais (excluindo quaisquer preceitos ou argumentos religiosos). Sua teoria baseia-se na ideia de que é necessário um Estado Soberano para controlar a todos e manter a paz civil.

Quais são as principais ideias de Hobbes?

No livro, Hobbes defende o Contrato Social e um Governo de um soberano absoluto. Hobbes defendia que a eterna luta de todos contra todos, ou seja, o caos e a guerra civil, só podem ser evitados por um governo central forte.